fim da civilização não é fim da Terra: Atlântida afundou, ‘Ariana’ segue em breve; mas o Homem e Mulher Mansos herdarão o planeta purificado

14/03/2013

Localização dos antigos continentes de Lemúria (ou simplesmente ‘Mú’) e Atlântida. Atualmente submersos no fundo do Pacífico e Atlântico.

Estudando como Atlântida afundou há algumas dezenas de milhares de anos, alguém só pode ficar alarmado com os rumos que essa atual civilização Ariana está tomando. 

Obviamente o destino será o mesmo da anterior. Entretanto, tenha claro que o fim de uma civilização não é o fim do planeta. Assim como Atlântida e Lemúria se foram, a Vida continuou.

A Terra ainda é jovem, e por milhões de anos ainda servirá de Escola pra bilhões de Almas que se encontram no estágio de Homens e Mulheres materiais.

A Raça Ariana já teve seu ápice, e agora encaminha pra passar o bastão pra outra. Daí essa decadência espiritual reinante, pois o que já cumpriu seu ciclo caminha pra decrepitude que marca o recolhimento da Energia.

………..

mapa

Em algum momento nesse novo milênio haverá nova mudança no desenho do planeta. Uma fonte da Ciência Oculta diz que em azul será mantido, já esses em branco rajado são os pedaços que serão submersos pelo Oceano: Amazônia e parte do Nordeste Brasileiro, Argentina, Oriente Médio, Leste Asiático, todo os EUA e Canadá exceto as Montanhas Rochosas e Alasca mas incluindo a Califórnia ianque e mexicana, e quase toda a Austrália, Europa e África. Nessas últimas 3 só restarão pequenas ilhas. Por outro lado pra manter a proporção terra/água novos continentes emergirão, ou melhor os antigos continentes que estão submersos re-emergirão. Tudo no Universo é cíclico, ‘encarna, desencarna e re-encarna’, se quiser ver assim, e os continentes não são exceção. Veja no mapa abaixo que a Amazônia já foi mar. Simplesmente voltará a sê-lo.Como disse, é um processo pro Milênio, não é pra amanhã em sua contagem material.

Imagine um terreno com um palácio em ruínas. Um dia foi esplendoroso, quem sabe mesmo importante centro administrativo em cujos gabinetes se tomaram decisões que alteraram os rumos de uma nação. Nos salões houveram bailes magníficos. Pro trabalho e pro lazer, a nata da sociedade um dia se congregou ali.

Só que agora está abandonado, e só há escombros, mato, lixo, ratos e usuários de drogas nas ruínas. E há planos de se fazer um outro edifício no lugar, ainda mais belo que esse anterior um dia foi. Certamente antes das obras de construção começarem é preciso demolir o que resta da construção antiga e limpar o terreno.

Então. O Planeta Terra é esse terreno. O palácio em ruínas é a Civilização Ariana (euro-estadunidense): foi grandiosa e cumpriu com maestria o papel pra foi criada. Mas agora decaiu, porque um dia tudo decai, e está atrapalhando ao invés de ajudar o progresso da Humanidade. 

É preciso erguer nova Civilização, que será ainda mais Grandiosa, porque será mais Justa. Obviamente entretanto é preciso antes demolir as ruínas que estrovam o lugar.

Entenda que estou usando uma linguagem figurada ao falar em destruição da civilização. Eu não estou, repito, não estou pregando a violência contra quem quer que seja.

Até porque tentar atingir seus objetivos através da violência é exatamente o traço da civilização ariana e anteriores, comportamento que não terá mais lugar na Mente e Coração do Homem e Mulher do futuro.

A queda dos poderes injustos que comandam atualmente o planeta (o “Príncipe da Terra”) se dará de uma forma multi-dimensional Planejada e executada por uma Força Maior, e não com ataques terroristas engendrados por mãos humanas.

A forma que poderemos colaborar com esse Grande Plano é Expandindo a Consciência. Ao fazermos isso, naturalmente vemos que a violência não terá mais lugar na Terra em breve.

Novamente, Lemúria em amarelo, Atlântida em vermelho. Veja que a América, em negro, já teve outra configuração. A Amazônia era mar, o Caribe terra. Esses mapas são atemporais, Lemúria não conviveu com Atlântida, e nem Atlântida com os continentes atuais. São ‘encarnações anteriores’ do Logos planetário, se você conseguir entender que numa macro-escala a Consciência Planetária também alterna entre as dimensões – encarna, desencarna e re-encarna – assim como a Consciência individual do Homem e da Mulher.

E devemos nos esforçar pra varrermos ela desde já de todas as dimensões em que pulsamos, inclusive no Plano do Pensamento.

Quem vive pela espada morrerá pela espada. Os Arianos – e também o escolho de outras civilizações extintas na Lemúria e Atlântida – se aniquilarão entre si, num confronto Leste-Oeste que já se delineia.

Cabe ao Novo Homem e Nova Mulher, que são naturalmente pacíficos em sua índole, se afastarem de conflitos violentos, que se intensificarão nesse século mas depois cessarão por milênios.

A Consciência Expandida da Nova Raça já casou Mente e Coração, então Sabe que a Centelha da Vida alterna as dimensões na aparência mas jamais apaga sua Essência, vive pra Sempre pois é Eterna como o Pai-Mãe de quem é Imagem e Semelhança.

Portanto o período de tumulto que marca a queda ariana – e que ainda irá piorar – não lhe afeta em Espírito.

………

Acima introdução que fiz em 2015, quando subi a matéria pra rede. Vamos enfim iniciar o texto original de 2013:

Como é domínio público, os EUA estruturaram sua civilização (sendo copiados em todos os continentes, em maior ou menor graucom base no transporte individual no modal do automóvel. Por isso, os EUA com 5% da população mundial consome de 20 a 25% dos recursos energéticos,

Essa situação é insustentável em inúmeras dimensões:

  • política

  • econômica

  • ambiental

  • e espiritual, em termos do é justo e certo por si só. Por que um povo tem direito a consumir de 4 a 5 vezes mais que sua proporção na população, enquanto centenas de milhões não tem um copo de água limpa pra beber, um prato de comida, um teto, etc?

19 pistas - tudo parado

3 imagens de Los Angeles, EUA: 19 pistas, e mais 4 laterais, totalizando 23, e tudo parado.

A resposta é simples. Os EUA não tem esse direito, se fosse um direito justo não haveriam guerras. O mesmo vale pra classe média global, do Brasil a China, que quer imitar o estilo de vida motorizado/ consumista/ egocêntrico/hedonista ianque.

A civilização baseada no automóvel e no hiper-consumismo chegou a seu ponto final.

……….

Repasso pra vocês 3 documentários que tratam do tema. Um passado por um colega e 2 que puxei da rede.

eua

A civilização ariana (euro-ianque) degenerou pro individualismo excessivo, culto a ‘ciência’, hiper-consumismo, no que a dependência emocional do modal do automóvel é o símbolo máximo.

O primeiro se chama “Fim da Subúrbia”. A primeira ligação é legendada em português. Pra quem não é familiarizado com o léxico geopolítico estadunidense, ‘subúrbia’ são os subúrbios de classe média-alta, muito distantes do centro das cidades, e portanto totalmente dependentes do modal automóvel.

O pior é que estão surgindo subúrbios de renda mais baixa, mas igualmente distantes, e que portanto faz as famílias de classe média-baixa comprometerem uma porção maior de seu orçamento pra manter um carro por pessoa.

https://www.youtube.com/watch?v=8wJ3eBBA09g

http://www.imdb.com/video/wab/vi3043624217/

…………..

exagero

Está evidente que essa situação não pode ser, está gerando desequilíbrios multi-dimensionais, que terão que ser corrigidos, talvez de forma dolorosa quanto mais se insistir no erro.

Os subúrbios, de renda elevada e também não tão elevada assim, estão indo pra cada vez mais longe do centro. Por isso no inglês estadunidense cunhou-se um termo, “suburban sprawling”, pra definir esse fenômeno. Poderia ser traduzido como “expansão suburbana”.

Mas “sprawling”, que significa “expansão”, também pode ser grafado sem alterar o sentido como “indo pra longe”. Assim, em tradução livre (não-oficial portanto) poderíamos chamar o segundo filme de “Indo pra Longe da Graça”. Infelizmente só consegui pelo ‘Corporationstube’, e só em inglês. Nesse caso específico é preciso ter uma conta no ‘Google/Gmail/Youtube’, e é preciso estar registrado nela pra ver o filme, mas é gratuito:

https://www.youtube.com/watch?v=KqMj3E94BK0

E por fim (literalmente) esse se chama “Não Há Amanhã”. Em português. E não precisa registro, é só clicar na ligação e sentar o aço.

http://beawarebechange.blogspot.com.br/2013/02/there-is-no-tomorrow-nao-ha-um-amanha.html

https://www.youtube.com/watch?v=f2WVL0BbLZ8

…………..

Os filmes já dizem bastante. Mas eles ainda se restringem a dimensão material. Eu vou além, e falarei de dimensões maiores.

Um dia, milhares de séculos atrás, os continentes na Terra tiveram outro desenho. Como é sabido, havia um continente chamado Atlântida, que nomeia o Oceano Atlântico, pois quando a configuração de massas sólidas e líquidas se alterou, Atlântida foi submersa. Isso não é misticismo, é geologia. Se a ciência convencional ainda não reconheceu esse fato, é porque seu instrumentos ainda não tem a precisão necessária pra regredir tanto tempo na história, mas um da terão. De qualquer forma, Platão já falou desse continente perdido.

nave noé livro trigueirinho

Quando Atlântida veio a afundar, os sobreviventes emigraram, saga contada – de forma simbólica e não literal, os ‘bichos’ na verdade eram seres humanos – na Bíblia como ‘Arca de Noé’. Hoje a crise de Ariana é global, não há novos continentes pra que se emigrar. Por isso a Salvação será interna, espiritual. Será preciso embarcar na ‘Nave de Noé’, que é interna, espiritual, e nunca físico-densa.

Aqui nos importa que Atlântida foi uma civilizaçã avançadíssima por dezenas de milênios. Mas pela Lei dos Ciclos, tudo que é material tem que ter gênese, começo, auge, decadência e dissolução. Atlântida não foi exceção. Os Atlantes conseguiram coisas fantásticas, que não entrarei no mérito aqui.

Só que um dia tudo chega ao fim. Cumprido o ciclo, Atlântida seria “devolvida pro Universo”, deixaria de existir fisicamente e retornaria a anti-matéria. Os sábios Atlantes sabiam disso milênios antes de ocorrer no plano físico-denso. Alias o princípio de toda Sabedoria real consiste em ter claríssima a inexorabilidade da Lei dos Ciclos.

…………..

Mas a massa não sabia. Por isso, 10 anos antes da data final, vieram avisos do que estava por vir. Os que foram previdentes não precisaram “ver pra crer”.

Portanto emigraram a outras partes. Há povos sobreviventes da catástrofe atlântica pela América (Incas, Maias e Aztecas), África (Egito) e Índia. Por que é que você acha que há pirâmides dos dois lados do Oceano? Poderia escrever uma biblioteca inteira sobre esse fascinante tema, e com o tempo vamos abrindo mais esses arquivos.

Aqui nos importa que alguns atlantes tinham “ouvidos de ouvir”, e saíram de Atlântida a tempo de salvarem a si e a suas famílias.

Essa saga está contada de forma simbólica na Bíblia na “Arca de Nóe”. Todos os que estudaram teologia ou Ciência Oculta sabem que o “Grande Dilúvio” se repete nas Escrituras de inúmeros povos antigos, porque aconteceu de fato. Não esqueça que as Revelações são simbólicas e não literais. Não tome cada palavra ao pé da letra, lembre-se que é uma parábola, pra facilitar a compreensão da multidão, que é ignorante em todas as eras e em todas as raças.

Isto posto, entenda: de fato ocorreu de uma esplêndida civilização ser submersa. E antes vieram os avisos. Quem ouviu se salvou.

A grande maioria, entretanto, preferiu ser cético. Disseram “Atlântida é muito grande pra afundar” – como dizem dos bancos ianques hoje, e os fatos estão inter-relacionados, como já veremos.

Outros não duvidaram que a catástrofe viria, mas acharam que uma década era muito tempo, e que alguém apareceria com uma solução.

Não foi o caso. As condições climáticas começaram a piorar, impedindo a saída posterior dos que ignoraram os repetidos avisos. Começou a faltar comida em Atlântida, as guerras aumentaram, no fim houve canibalismo, e todo esse caos foi coroado pela hecatombe que fez a civilização atlante deixar de existir.

…………

suástica na Estrela de DaviEncerrado o ciclo da Raça Atlante, começou o da Raça Ariana. Já lhes disse que esse termo é infinitamente mais amplo que a limitação que os nazistas atribuíram.

Quem estuda linguística sabe que se fala em um ramo de idiomas “indo-europeu”. Justamente porque essa é a trajetória da Raça Ariana. Dos bramanes indianos até os latinos do Sul da Europa, passando pelos persas, árabes, turcos, normandos, eslavos, escandinavos, todos são arianos.

A Civilização Ariana surgiu no Cáucaso, na Grande Planície perto do Centro da Eurásia. Gêngis Khan é o arquétipo da Gênese Ariana. A seguir, vindo do Norte, eles invadiram a Índia, onde fincaram raízes preparando a ‘Grande Marcha pro Oeste’ que conquistou todo Oriente Médio e depois Europa.

‘Gêngis Khan’ não é uma pessoa, mas um título, algo como o ‘Grande Comandante’. Assim como ‘César’ não é um nome em Roma, mas um título, alias o mesmo título. Não houve apenas um ‘Gêngis Khan’, mas vários, assim como houveram vários Césares e vários Kaiseres na Germânia.

Alguns ‘Gêngis Khan’ mongóis viveram muitos milênios antes do que te ensinaram na escola. Repito, ele é o arquétipo do início da Raça Ariana, e ela já tem algumas dezenas de milhares de anos, e não apenas 7 mil como a ciência oficial reconhece até agora.

A Índia é a Pedra Fundamental de Ariana, e seu ponto de encontro com Atlântida – quando essa última afundou, vários sobreviventes ancoraram na Índia. Ali houve confrontos entre os grupos, vitória ariana, pois esses eram mais propensos a violência, desde o dia 1.

Na Índia os simbolismos adotados na Europa já existiam mas eram interpretados de forma distinta. No Hinduísmo multi-multi-milenar – já estruturado como Civilização ao redor do Ganges enquanto os europeus ainda viviam em cavernas – já se conhecia a simbologia da Estrela de Davi e da Suástica. E, vejam vocês, na Origem esses símbolos não eram rivais, mas Trabalhavam em Harmonia, por isso um acolhia o outro.

Veja a esquerda a imagem que eu flagrei (via ‘Google mapas’) num templo budista do Nepal. No Oriente, as coisas são mais amplas e mais Holísticas que no Ocidente, e uma rivalidade mortal na Europa – que quase destruiu o mundo – se torna uma Tenra Amizade no Himalaia. Na Origem, na Essência, era assim. Conforme a ‘Grande Marcha pro Oeste’ avançou as coisas mudaram:

A Raça Ariana é nada mais que a civilização judaico-cristã-islâmica. Acho que assim fica mais fácil de entender. Os negros, os orientais e os americanos nativos não são arianos – são resquícios da Atlântida e Lemúria, que veio antes dela. Os brancos das 3 grandes religiões fundamentalistas que tem Jerusalém como cidade santa são arianos.

Por ‘brancos’, ‘negros’, ‘americanos’, me refiro sempre a vibração espiritual, e não cor de cútis. Alguém pode ser alvíssimo e não ser ariano. Eu, embora fisicamente branco, espiritualmente Sou Americano – isso nada tem a ver com os EUA, exatamente ao contrário, os estadunidenses são europeus que cruzaram o Oceano. A Raça Americana, que vem surgindo, é não-ariana, ou melhor dizendo é a transição da Raça Ariana pro Novo Homem e Nova Mulher, que a sucederão.

Chegou a HoraInversamente, Barack Obama é ariano. Arianíssimo. Se entenderam o que quis dizer por “vibração espiritual”, não é preciso dar mais detalhes. Bem, eu disse que o tom ariano é sempre usar violência pra atingir seus fins.

………..

E assim como a Civilização Atlante, chegou a hora do fim da Civilização Ariana.

Não, não é o “fim do mundo”. Nem do planeta físico, que ainda é jovem e terá grande ciclo pela frente, nem tampouco é o último capítulo da Saga do Homem e da Mulher sobre ele.

É apenas o fim da Civilização da Raça Ariana, cuja sub-raça euro-estadunidense foi ápice e coroação.

Novamente os avisos estão aí. E igualmente a maioria das pessoas não se dá conta do que isso representa. Descobrirão em breve, pela maneira dolorosa, se assim o quiserem.

……….

Não precisa ser assim. Podemos aprender pelo Amor, e não pela dor.

A questão, meus amigos, é que a humanidade está um ciclo a frente de Atlântida. Lá, a saída era física. Os que tiveram “ouvidos de ouvir” emigraram, e se salvaram.

Agora não mais. Porque todos os continentes já foram desbravados, e o processo é maior, envolve toda a humanidade. A Civilização Ariana finda. Mas os pedaços da África, Ásia e América habitados por não-arianos também passarão pelas drásticas mudanças. Não há como se refugiar fisicamente em parte alguma.

A mudança agora precisa ser justamente de “vibração espiritual”. Por isso o livro “Nave de Nóe”. O “noé”, o Redentor, agora é interno, é a Consciência de cada um.

Os avisos estão aí. Quem tiver “ouvidos de ouvir” ajudará a formar a Nova Terra, será Um com ela. E nada terá a temer.

………….

Entretanto, de novo a maioria ignora os apelos pra mudança, achando que algum milagre pode salvar essa civilização. Na época de Atlântida, os que primeiro ignoraram os avisos depois clamaram por Deus, ao se dar conta de quanto eles eram verdadeiros. O Homem e a Mulher modernos, entretanto, são materialistas, e tem sua fé cega na “ciência” ao invés do Criador. Portanto a massa ignorante (independente de classe social ou nível de educação formal) crê que alguma inovação “tecnológica” poderá permitir a continuidade desse modelo consumista de vida que é anti-natural, e portanto insustentável.

Nada poderia ser mais distante da realidade. Agora como na Velha Atlântida, os orgulhosos ignoram todos os avisos.

Não espere a “Nave de Nóe” – que é interna, consciencial – fechar as portas pra tentar entrar nela. Não será possível.

Como na “arca” do ciclo anterior, depois que todos forem alertados e fizerem sua escolha, terão que arcar com as consequências dela.

Ainda há tempo. Mas só há uma única maneira de salvar a vida na Terra: é preciso consumir menos e ter um estilo de vida mais simples. Precisamos nos focar menos nos supérfluos e mimos que excitam os sentidos do plano físico-denso e nos focarmos mais nas Verdades Espirituais de outras dimensões.

Isso não implica, de forma alguma, a negação do matéria, o chamado ‘ascetismo’. Sou Tântrico, e a o Tantra é anti-ascético, o asceta é anti-tantra. Só se pode ser um, ou outro. Eu Sou Tântrico repito, e por isso rejeito enfaticamente a doutrina do ascetismo, que é a negação total da matéria.

Como já escrevi em outra mensagem, as formas de Iniciação hoje também são menos densas, ninguém precisa viver isolado numa caverna pra salvar o planeta.

E como escrevi acima, uma Expansão de Consciência não é de forma alguma negar a matéria e a tecnologia.

Apenas fazer uso sensato delas. Equilíbrio, como no Yin-Yan. Porque a civilização ariana (euro-ianque) que se encerra obviamente se desequilibrou pro lado do materialismo, hiper-individualismo Luz desenho mãos mulhere consumismo, resultando o que poderíamos classificar como hedonismo e mamonismo.

Essa loucura precisa cessar.

Começando hoje. Hoje.

As últimas trombetas estão soando. Não é brincadeira.

O aviso, ainda mais uma vez, está dado.

Quem tiver ouvidos, que ouça.

………….

Deus proverá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s