Gênese revisitada: quando Homem e Mulher se separaram

ADVERTÊNCIA: VOU FALAR DE CIÊNCIA OCULTA. SE VOCÊ NÃO SE INTERESSA POR VISÕES QUE QUEBRAM A ORTODOXIA REINANTE NA TEOLOGIA, MÍDIA E ACADEMIA ATUAIS, NÃO PROSSIGA.

SE VOCÊ NÃO GOSTA DO QUE ESCREVO, ENTÃO NÃO LEIA, É SIMPLES. MAS NÃO TENTE ME CENSURAR COM O ‘POLITICAMENTE CORRETO’, DOGMAS OU COM ‘O QUE ESTÁ ESTABELECIDO POR CONSENSO’.

NÃO VOU TE DIZER COMO INTERPRETAR O MUNDO, RESPEITO TEU DIREITO DE FAZÊ-LO COMO JULGAR CORRETO. RESPEITE O MESMO DIREITO EM MIM. AO PROSSEGUIR, VOCÊ CONCORDA EM RESPEITAR MEU DIREITO DE VER O MUNDO COMO ME PARECE CERTO, E EXPRESSAR ESSA VISÃO.

17/12/2011

Hoje vamos tratar de um tema da Ciência Oculta, energia fechada por sua própria definição:

É a Lemúria, continente submerso no que hoje é o Pacífico, que foi o primeiro lugar habitado por seres humanos na dimensão material na Terra. Por isso a Mãe da Humanidade. Em amarelo no mapa.

Pra falar dela vamos abordar uns pontos da Gênese Bíblica, em especial a parte de Adão e Eva.

……….

A Atlântida (em vermelho), outro continente que afundou, estando agora sob o Oceano que nomeia, é bem mais conhecida. Foi descrita inclusive por Platão. Pois bem. Como sabem, a Lemúria foi o continente que veio antes de Atlântida. Cada grande ciclo humano em um planeta tem sete grandes raças, as raças-raiz.

A atual raça – a Ariana – é a 5ª Grande Raça. Em Atlântida habitou a 4ª Raça. Na Lemúria, a 3ª na contagem total, e primeira que emergiu a matéria. Pois as duas primeiras foram imateriais, pro nosso padrão. No decorrer desse texto vamos exoterizar (isto é, tornar público, o contrário de esoterizar, que é fechar pros iniciados) até a passagem da Gênese de Adão e Eva – em sua versão correta, como ocorreu de fato, e não como a raça ariana interpretou.

Verão que a Mulher Original nunca foi desmembrada do Homem Original. A errônea interpretação corrente se deve a nossa civilização usar o mesmo termo, ‘homem’, tanto pra espécie quanto pra sua metade masculina. Um erro, que gera outro erro, naturalmente. Veem que em meus textos nunca uso simplesmente ‘o Homem’ pra me referir a espécie, e sim ‘o Homem e a Mulher’. Homem e Mulher, ambos vieram de um molde neutro, não-sexuado. Tudo isso se deu exatamente na Lemúria. Mas já chegamos lá.

…………..

Comecemos do começo. Deus decide criar um sistema solar onde antes não havia nada. Não havia nada em termos materiais. Em dimensões mais sutis, ainda incompreensíveis a nós, tudo existe desde sempre, pois tudo é parte de Deus, assim Eterno como Ela-Ele. Seja como for, Deus resolve fazer emergir a matéria um novo sistema solar. De uma matriz que já existe (vamos dizer que é uma estrela, talvez não seja 100% apurado astronomicamente como a ciência material entende, mas é uma figura de linguagem útil pra compreendermos, uma parábola, já que lidamos com fenômenos que se desenrolam em dimensões muito acima do que a Mente humana pode apreender em seu presente estado, sendo necessário então usar essas parábolas pra que comecemos a pegar o fio da meada – considere tudo como uma semente, o entendimento pleno vier quando atingirmos o Nirvana, aqui é só pra pôr em movimento) então explodem os corpos materiais que irão girar em torno daquele Sol.

Já voltamos nesse ponto. Aproveito pra apontar que essa estrela que originou os planetas já havia anteriormente sido gerada pela explosão de uma estrela maior, na qual por sua vez gravita – no caso de nosso Sol, Sírio é essa estrela, o Sol do nosso Sol. Essa estrela maior, por sua vez, é oriunda de outra ainda maior, e assim sucessivamente.

De forma que a teoria da Grande Explosão está correta ao afirmar que todo o Universo que conhecemos teve origem numa explosão. Mas está errada ao reduzir tudo isso ao mecanicismo, achando que foi por acaso. Tudo é controlado pela Suprema Inteligência. Achar que o Universo, na perfeição que É, é fruto de uma explosão ao acaso é a mesma imbecilidade de crer que um livro pode ser obra de uma explosão ao acaso de uma gráfica. Os materialistas são mesmo ‘os cegos que conduzem outros cegos’, então segue o baile.

Outra coisa. Sublinhei ‘que conhecemos’ porque essa é a questão. Nossos instrumentos, e mais ainda nossa compreensão, são extremamente limitados. Por isso disse acima que pra Revelar uma Verdade Maior a princípio se usam parábolas como sementes. Depois a Consciência se Inicia e pode ver ‘Ísis sem véus’, mas no começo é preciso velar pois a Luz tem que ser gradual ou cega tanto quanto a treva – veja o exemplo de Saulo (depois Paulo) a caminho de Damasco. É fato que o Universo que conhecemos veio de uma grande explosão. Só que o Universo – mesmo que nos atemos a dimensão material – é ainda assim Infinito e Eterno. Além da parte que conhecemos, há outras. Essa é a definição de Infinito, e sendo nossa compreensão finita, jamais abarcaremos o todo. Jamais a mente humana compreenderá o Infinito. Só em etapas futuras, sobre-mentais, é que as coisas ficarão claras, após termos passado por algumas Iniciações.

Além da parte material – por si só Infinita e Eterna, ao contrário da lavagem cerebral materialista – o Universo tem Infinitas dimensões. Então uma pequena parte do Universo teve sim origem na “Grande Explosão”. Mas além do que conhecemos haviam partes materiais que já existiam – algumas delas ainda existem, outras se recolheram ao Imaterial, seguindo a Lei dos Ciclos. E desde sempre existiram e sempre existirão dimensões imateriais, que nunca serão captadas por vias materiais.

Tudo isso coordenado pela Mente Única. O ‘acaso’ é o dogma e a muleta dos imbecis.

……………

O tema é obviamente complexo, assim essa mensagem é apenas uma única peça de um quebra-cabeças imenso, em Verdade Infinito, que você vai montando em sua Mente e Coração. Vamos tentar retomar o fio da meada. Essa Mente Única, Mãe-Pai Eternos de tudo que existe, existiu e existirá em qualquer dimensão, resolve criar novo sistema solar. Assim uma estrela explode e libera pequenos pedaços, que serão os planetas que gravitarão em torno dela.

Os planetas começam então a resfriar, o que os torna aptos a receberem Vida – a isso me refiro aos reinos de maior complexidade material. Tudo no Universo é vivo, inclusive o que consideramos minerais ou vácuo, pois tudo é ocupado por átomos, em graus variados de densidade, e átomos são vivos, são materialização da Energia Básica Universal (Deus), que diversos povos chamam de ‘prana’, ‘tao’, ‘chi’, ‘ono-zone’, e mesmo o que Reich classificou por ‘orgone’. Deus está em tudo, tudo está em Deus, e Deus é Vida, cada parte do Universo é vivo, ainda que em dimensões menos complexas que a humana. Se não vemos, não significa que não existe, pois o cego material não vê o Sol, mas o Sol está lá. Perante as Origens do Cosmos, o Homem e a Mulher atuais são em sua maioria cegos, não custa enfatizar ainda mais uma vez.

Mas voltemos. O planeta que se separou do Sol já contem vida, mineral e em outras dimensões menores, atômicas e mesmo imateriais. Chega uma hora que a Mãe-Pai resolve que é hora dele ser habitado por Vida na dimensão humana. Então primeiro há uma Graduação, e uma leva de Almas nos últimos estágios do Reino Animal passam a ser Homens e Mulheres das cavernas. Paralelamente a isso, chegam outras Almas prali, e essas já são humanas, oriundas de outros planetas, onde já não são mais úteis.

Quanto aos macacos que acabaram de se tornarem humanos, esses são os verdadeiros nativos do planeta, os que viraram Homens e Mulheres pela primeira vez ali. Nesse ponto a ciência material está correta em descrever essa evolução, apenas erra feio em negar a existência da Alma. Todas as Almas que hoje são Homens e Mulheres estagiaram antes pelos reinos infra-humanos, animal, vegetal, mineral, elemental e outros ainda mais primários.

Então como essa linha de evolução já está bem compreendida, vamos nos focar naqueles que já vieram na frequência humana de outros planetas, sofreram lá seu degredo. A Terra passa por um degredo, o chamado “Êxodo de Aquário”. Pois bem. Assim como agora mandamos bilhões de Almas humanas pra planetas mais primários, esse processo é permanente no Universo. Um dia, foram outros planetas que mandaram bilhões de Almas humanas pra cá. No começo, essas almas humanas ainda não estão na matéria. 

Pelo menos não estão na frequência que nós consideramos matéria. Pois pra eles seu plano pode ser tão material e concreto quanto o nosso é pra nós. Assim como quando você sonha, os objetos ali são materiais pra ti. Seja como for, os primeiros humanos estão num plano que não consideramos matéria. A materialização é gradual.

Na Terra ocorreu o mesmo. As duas primeiras raças humanas estavam em planos que nós consideramos imateriais. A terceira, a lemuriana, foi a primeira que existiu na matéria. Terceira na soma total. Cada ciclo humano tem sete grandes raças, as Raças-Raiz. Lemuriana, terceira. Atlante, quarta. Ariana, quinta (3ª materializada). Como já disse acima.

Mais duas se seguirão, sendo a última novamente imaterial. O ser humano começa a povoar um planeta no estado imaterial, se materializa, chega a ponto máximo de materialização (que estamos agora, com atraso), inicia a sutilização e termina imaterial, como começou.

…………

Como já escrevi muitas vezes, a Raça Ariana é que vai do Irã a Portugal, incluindo tudo que está no meio. Europeus ocidentais, persas, árabes, muçulmanos, cristãos e judeus, todos são arianos. Todos são brancos. No caso dos muçulmanos, me refiro aos árabes. Nigerianos e indonésios, entre muitos outros, são muçulmanos não-brancos, portanto não-arianosTodos os não-brancos são não-arianos.

Mais uma vez: estou fazendo uma simplificação extrema de um processo extremamente complexo, que ocorre em dimensões que nossa linguagem sequer tem palavras pra descrever, pois ela foi feita pra descrever o plano físico-denso. Óbvio que não é tão simples assim, ‘os brancos são arianos’. Repito mais uma vez e quantas se fizerem preciso, tudo isso é apenas uma semente pra começarmos a moldarmos a ideia. ‘Pronto o aluno, o Mestre aparece’. Quando tivermos uma ideia básica formada, ainda que extremamente simplificada e por isso esse estudo é útil, mais elementos virão esclarecer novos pontos, damos apenas mais um passo numa Caminhada Infinita. Tendo claro que essa é uma simplificação extrema, ela é válida. Persas, árabes, judeus e oeste-europeus são os arianos, grosseiramente falando. Os leste-europeus, que se agrupam em torno do Cáucaso, são também bastante arianos mas ainda tem uma boa mescla de lemurianos, tanto que o alfabeto cirílico é oriental.

As outras raças materiais, a vermelha (Ásia e América) e negra (África e partes da Polinésia), são justamente descendentes das outras raças espirituais, resquícios do que existiu antes da Ariana, ou seja oriundos de Lemúria e Atlântida.

Já os brancos são os arianos, apenas lembre-se que judeus, árabes e persas também são brancos.

Os eslavos são transição entre lemurianos e arianos, quanto mais arianos quanto mais ocidentalizada a cultura, mais lemurianos quanto mais rejeitarem a ideologia dominante nos EUA-Otan.

………………

Na Lemúria Deus Pai/Mãe dividiu a Si mesmo, pra criar as metades Masculina e Feminina da Humanidade. Desde então nós, os Filhos e Filhas, vivemos a busca de nossa ‘cara-metade’, ansiando retornar a Unidade Original.

Então a raça lemuriana foi a primeira a emergir ao que hoje se considera matéria. Eles eram bem diferentes do ser humano atual. Iniciavam a etapa humana. Ainda não tinham totalmente formada a mente analítica, da forma como entendemos esse termo, é o que isso quer dizer. Eram mais puros, mais próximos de Deus, nesse sentido mais parecidos com os animais. Sendo Deus Oni-presente, tudo é Deus, em Todo o Tempo, em Todo o Espaço. Logo nós estamos tão imersos em Deus quanto os lemurianos e todo o mais que existiu, existe e existirá. Ainda assim, os lemurianos, sem livre-arbítrio, eram mais próximos do Criador em mais dimensões que nós, enquanto os arianos cultuam outras coisas, nem todas elas Divinas.

E os lemurianos eram inteligentes, construíram cidades complexas. Na próxima mensagem seguem fotos de uma cidade lemuriana submersa, achada em 1985 perto do Japão. Até porque há formas de inteligência que não dependem da mente. Quando o raciocínio não está tão desenvolvido, usa-se mais a intuição, assim como quando a visão não está disponível a audição, o olfato e o tato se apuram infinitamente mais.

Tudo o que quero dizer é que os lemurianos não tinham mente, ao menos nem sombra da nossa, e isso tem um lado bom e um ruim. Seu livre-arbítrio era bem mais reduzido. Novamente, isso por si só não é bom nem ruim. Os animais não tem livre-arbítrio. O ser humano tem. Só que os Profetas (Jesus, Buda, etc) também não tem livre-arbítrio, apenas seguem a missão. Logo o livre-arbítrio é uma etapa, que começa, amadurece, tem seu auge, e será superada. O livre-arbítrio não é o supra-sumo da evolução.

Os lemurianos estavam em uma etapa anterior a nossa. Tinham inteligência humana, mas diferente, pois não-mental. Ainda mais uma vez aqui caímos na ‘armadilha da mente’. Como (ao menos entre a massa não-iniciada) vemos e entendemos tudo pelo raciocínio analítico, que é linear, reducionista, densificador material e comparativo, não conseguimos ‘pensar fora da caixa’, isso é fora da mente, que é apenas uma das múltiplas formas de Inteligência. Viciados que estamos na energia mental, não conseguimos como outros não tem a mesma dependência, mas assim É. Buda e Jesus também tem inteligência não-mental, assim como todos os do reino angélico, a que eles pertencem. Logo há formas de inteligência acima e abaixo da frequência mental.

Os lemurianos estavam abaixo, assim eles não pensavam como nós pensamos, mas não quer dizer que não ´pensavam de todo. Abrir a dimensão mental é justamente a missão da Raça Ariana, a terceira raça materializada. A missão dos Lemúrios, 1ª raça materializada, era abrir precisamente a dimensão física – exatamente por ser a primeira raça física. De forma que podemos dizer que a Ariana é primeira raça puramente mental.

……………..

Logo retorno ao ponto. Por hora, digo que nada mais lógico, cada raça cumpre um ciclo. As duas primeiras fazem a adaptação ao planeta. Por isso foram não-materiais, nem temos muitos vestígios delas, e só teremos provas concretas quando soubermos explorar melhor o plano astral. Lemúria e Atlântida são ‘encarnações anteriores’ da humanidade da Terra, digamos assim.

Bem como a maioria dos Homens e Mulheres da massa não conhecem sua encarnações anteriores individuais, coletivamente os arianos não conseguem ter acesso aos tempos lemurianos e atlantes, mas eles existiram. Os Lemurianos emergem a matéria. Sua missão é abrir a dimensão material. A seguir vem os Atlantes. Já pegam a primeira dimensão, o primeiro chacra, abertos, abrem o segundo, a dimensão emocional. A raça Ariana já pega as duas dimensões abaixo formadas, abre o terceiro chacra, a dimensão mental. A próxima raça – cuja sub-raça Americana da Raça Ariana é um prelúdio, uma transição, como já escrevi com detalhes em outro texto (breve no ar) – abrirá o plano intuitivo, quarto chacra (coração).

Mas deixemos o futuro pra depois e voltemos ao passado. Os lemurianos fizeram a passagem do imaterial ao material – sempre segundo nosso padrão de matéria, não custa repetir. Eram bem diferentes de nós, e logo dou mais detalhes. O fato é que os lemurianos foram os primeiros a existir na “matéria”.

E por isso os lemurianos marcaram outra importante passagem da espécie humana: foi na Lemúria que a espécie se dividiu em dois sexos.

É isso mesmo, os primeiros lemurianos eram assexuados, se reproduziam por formas que não há como entrar em detalhes aqui.

Eram mais próximos a imagem e semelhança de Deus, que é Pai-Mai, Masculino-Feminino em si só. Na Lemúria ocorreu a ‘queda’ do ser humano, narrada na Gênese sob a alegoria de Adão e Eva.

…………………

Vamos fazer um apêndice importantíssimo aqui. Tudo que está narrado na Bíblia ocorreu de fato. Mas algumas coisas não no Plano Físico-Denso, eis o pulo do gatoA saga de Adão e Eva existiu, mas não no que nós julgamos matéria. É um arquétipo. Relata a multidão como Deus planejou a espécie, como Ele-Ela criou o molde da Humanidade, e ocorreu como foi narrado, mas em outras dimensões não tão densas. Tudo se deu num plano Divino, e nunca foi no Planeta Terra. A Espécie Humana habita, habitou ou habitará todos os planetas do Cosmos Infinito.

A faixa de frequência que é o Homem e Mulher exatamente como estamos agora povoa todos os planetas, em algum tempo. E Deus criou o molde da espécie humana uma vez só. Não foi na Terra, portanto, pois muito antes da Terra pensar em existir houveram Infinitos Planetas habitados por Homens e Mulheres, que vieram de um único molde na Mente Eterna. Esse molde, repito, foi criado imaterialmente, e atemporalmente. Sempre existiu. Existe nos planos Divinos, inacessíveis a nós por hora e é aplicado em cada novo planeta que emerge a matéria.

Deus de fato criou o ser humano a partir de uma matéria mais bruta, representada pelo barro. No molde, no arquétipo, no Plano Imaterial, é que existiu apenas um casal, que é o princípio Feminino e Masculino Divino. Na matéria é falso que toda humanidade descenda de um casal material. Adão e Eva são o arquétipo, o molde, que existe sim, mas de forma não-material e não-temporal. Outra falsidade: a de que o elemento Masculino tenha sido criado primeiro.

É mentira. Primeiro gerou se molde neutro, o Filho Original, que não tinha vagina nem pênis. Imagem e semelhança de Deus. O molde neutro é quem se dividiu, sob as ordens Dele-Dela, gerando, ao mesmo tempo e com a mesma importância, as metades Feminina e Masculina.

……………..

Como é Acima é abaixo”, eis a Lei. Nos Planos Divinos, esses sim imateriais por qualquer parâmetro, Deus criou seu Filho original em sua imagem e semelhança, sem polaridade sexual. A seguir o Pai-Mãe ‘separou a Si Mesmo’, digamos assim, e fez cada metade da humanidade espelhar uma metade sua de cada vez. Que a alma humana é neutra e encarna alternadamente nos dois sexos não é novidade alguma pra nós Estudantes.

No molde, que sempre existiu e fica nos Plano Imateriais, um único Filho Original gerou um único casal. Na matéria é preciso adaptar a escala do que será feito, que é incomparavelmente maior que o arquétipo, obviamente. Então o molde é uma espécie inteira. Milhões de indivíduos, por enquanto no estágio pré-sexual. E quando há a divisão logicamente milhões de casais se formam. No arquétipo, um casal basta. Na matéria, digo de novo, é mentira que todos descendem de um só casal.

Falemos mais um pouco desse arquétipo. Deus, o Pai-Mãe, Homem-Mulher numa única Consciência, criou seu Filho Original, imagem e semelhança Dele-Dela. Portanto esse filho era ele-ela como a Fonte. Sem pênis nem vagina. Por isso milhões de lemurianos, já na matéria, não tinham pênis nem vagina. Se reproduziam por maneiras que não é possível detalhar aqui. Mas pra dar uma pista: a atmosfera, na Lemúria, fazia a transição entre o plano astral e o físico-denso. O plano astral é aquele que você está nos sonhos. Nos sonhos são experiências comuns a muitas pessoas nós termos a capacidade de voar, atravessar paredes, ter contato amistoso com animais selvagens, e mesmo termos um corpo do sexo contrário ao que estamos encarnados. Logo, a matéria do astral é mais maleável, atende mais prontamente aos comandos da Consciência que a dimensão física-densa. Portanto a reprodução na Lemúria, por ainda ter uma pitada de astral, era mais consciencial que física.

Aí, no arquétipo, Deus dividiu o Filho Original em duas metades. E como Ela-Ele fez isso? Simples. Deus podia, obviamente, ordenar o molde conforme Sua vontade, como nós podemos modelar a vontade um boneco de barro ou de massinha – é sabido que os Iniciados moldam sua forma como quiserem, no astral e mesmo no físico-denso. Se uma consciência mais evoluída comanda a matéria – por isso Jesus andou sobre a água e fez todos os outros milagres, o que dizer da Consciência Suprema e Única? Por isso foi escolhida a palavra ‘barro’. De fato nossos átomos materiais vieram da terra, mas aqui se indica também sua moldabilidade nas mãos do Eterno.

Ele-Ela pegou o molde, que podia modificar a sua mercê, e entre suas pernas instalou o princípio genital. Colocou uma área sensível a energia sexual. Ainda o molde único. E ainda sem órgãos genitais. Não tinha pênis ou vagina, mas entre suas pernas tinha o ensaio do que viria a ser o centro emissor/receptor do prazer sexual.

Como não fazia sentido acrescentar energia genital sem energia sexual (isto é sem diferenciação entre os sexos), o Pai-Mãe fez com que sua porção Mãe, Feminina, Negativa, Atrativa, imediatamente puxasse a região genital pra dentro do corpo. Onde havia a pele lisa, a força centrípeta fez surgir a vagina, abrindo uma fenda no corpo, que até então era plano. Como ocorre se colocamos uma toalha sobre duas mesas que estão juntas e afastamos as mesas um pouco, surge um buraco na toalha onde a gravidade a puxou pra baixo.

De forma reversa e reflexa, a porção Pai cumpriu o efeito oposto. A Energia Masculina, Positiva e Ativa, com sua força centrífuga, empurrou o centro de prazer sexual pra longe da superfície do corpo. Como claro esse centro não poderia ficar desconectado do seu dono, a medida que foi se afastando foi formando o pênis. Voltando a comparação da toalha, o mesmo que se alguém imergisse a mão por baixo dela e levantasse um dedo em riste, elevando junto um pouco de tecido.

De forma que, digo de novo, é mentira que a Mulher veio do Homem. O Homem é quem vem da Mulher, e pra tentar ocultar esse fato que a Raça Ariana distorceu como tudo ocorreu. Parte do problema é chamarmos por ‘Homem’ a espécie, o que é incorreto. Por isso eu só escrevo ‘ser humano’ ou ‘Homem e Mulher’.

……………

Vamos analisar esotericamente, no Plano-Matriz Fonte da Energia, e não no plano consequencial físico-denso-mental que é o único que os arianos entendem. Pois como podem ver se analisarmos corretamente o arquétipo de Adão e Eva vemos que o pênis e a vagina tem uma origem comum. Surgiram do mesmo ponto, que é a região entre as pernas do Filho Original, que ainda não tinha saliência ou reentrância.

Posto de outra forma, a vagina e o pênis são a mesma energia com sinais trocados. Veja por essa forma, pela matemática, que tudo ficará claro: quando a ponta do pênis toca o fundo da vagina, a Energia Original novamente se ativa, por poucos minutos que seja. É a “Volta pra Casa” de ambos. Eram Um no começo, e nesse encontro Homem e Mulher voltam a Fonte Primeva.

Ao se tocarem, neutralizam seus sinais inversos. Voltam a ser Neutros. Por isso quando um Homem e uma Mulher fazem sexo, unem suas almas, se tornam Um, se fundem, viram novamente imagem e semelhança de Deus, com as metades Masculina e Feminina em harmonia. Transcendem a divisão, transcendem a polaridade, e essa divisão exatamente é o que prende a Consciência nesse plano denso e escuro do Universo. Quando uma Mulher e um Homem se Encontram, se isso alinhar seus chacras unindo suas Almas e Corpos, ela e ele Se tornam Divinos.

Já disse muitas vezes que o sexo de maneira heterossexual monogâmica voluntária entre adultos nos leva a Deus, faz com que sejamos Um com o Criador. E essa é a explicação energética. Agora, é claro que pra essa Magia Tântrica ocorrer é necessário o Choque entre os opostos. Outras fórmulas de cópula, muito em voga na mídia e academia da decadente raça ariana (‘Kali Yuga’) não produzem o mesmo efeito, óbvio, pois densificam ao invés de sutilizar a Consciência. Assim como um pilha que tenha dois polos iguais jamais irá funcionar.

Isso não é moral, é magnetismo. A forma de neutralizar a carga sexual da polaridade que recebemos é uni-la com sua antítese, pra retomar a Síntese Neutra. Carregar com a mesma carga que já temos é como por gasolina em um incêndio. Posto que a Alma é neutra, mas a matéria é polar, e deve continuar sendo. O que implica na Lei de Atração e Diferenciação dos Opostos Materiais. É preciso transcender a Lei das Polaridades, e não negá-la.

Na matéria, essa divisão se deu na Lemúria. Os primeiros habitantes eram neutros, assexuados. Uma vez que eram pouco materiais. Ou se preferir eram materiais, mas mais astrais que físico-densos. O astral tem forma, logo é material, pois forma é matéria. Como a Lemúria era a transição do astral pro físico-denso, é a também a transição do assexual pro sexual, do neutro pro polarizado. Conforme os lemurianos foram se adensando, foram ‘passando o portal’ do astral pro físico-denso, foram se sexualizando polarizadamente. Ser polar é característica da vibração material densa que estagiamos. Só haverá novamente neutralidade conforme houver grande sutilização.

Antes de sermos Neutros sexualmente de novo, precisaremos ter desenvolvido a telepatia a muitos milênios. Isso dá uma ideia de como a diferenciação entre macho e fêmea não acabará tão cedo, ao contrário do que afirmam os magos negros. Enfim, a Terra definitivamente está presa no ‘Maya’, está na Kali-Yuga, uma era de densificação extrema da Consciência, o que obviamente gera grande confusão.

Mas tudo que tem começo terá também um final. Tudo o que é separado será reunificado. Um dia, a Consciência será Neutra de novo, sutil, e bem menos material. Alma Neutra, matéria polar. Assim, enquanto o plano físico-denso for o palco de nossa manifestação, Um Homem = Uma Mulher é a Imagem e Semelhança de Deus Pai/Mãe desdobrada a matéria. Da 3ª a 6ª Grandes Raças, eis a Lei.

Rosa + Azul = Violeta. Vamos Abrir esse Raio.

Que Deus ilumine a todos.

Deus proverá”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s